Com tantas opções de tipos, tamanhos e recheios, às vezes fica difícil saber qual é o melhor ovo de Páscoa. Para as pessoas que buscam o mais saboroso, basta seguir o paladar. Contudo, para as pessoas preocupadas com o peso é preciso levar em consideração alguns pontos.

A nutricionista Vanderli Marchiori, da ABICAB (Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Cacau, Amendoim, Balas e Derivados), lista as diferenças entre os principais tipos de chocolate e ensina qual a quantidade ideal de consumo do doce.

Tipos de chocolate

Segundo a especialista, o melhor chocolate é o amargo porque ele tem maior teor de cacau, sendo o menos calórico e o mais benéfico à saúde. “O chocolate dietético, por exemplo, não tem açúcar, mas é o que possui maior teor de gordura”, explica. Por isso, optar por ovo de Páscoa diet não é a melhor escolha se a preocupação da pessoa for o valor calórico, mas é a melhor opção para diabéticos.

“O mesmo vale para os chocolates de soja, que podem ser ricos em gordura ou açúcar. É preciso ficar de olho na tabela nutricional do produto”, afirma a especialista. Ainda de acordo com a nutricionista, o chocolate ao leite também possui grande quantidade de cacau, mas é rico em açúcar e dependendo do produto em gordura também.

“O chocolate branco, por exemplo, que é tido com um dos vilões, pode ser consumido de maneira recreativa. Algumas marcas apresentam porcentagem maior de leite, outras de manteiga de cacau. É importante comer em pequenas quantidades”, ensina. Varderli.

Em relação às crianças, por exemplo, a dica é acostumá-las com a versão amarga. “Elas costumam aceitar muito bem e é o melhor para a saúde”, completa.

Valor calórico

Segundo a nutricionista, o valor calórico muda muito pouco de um tipo para o outro e não deve ser o fator determinante na hora da escolha do ovo de Páscoa. “Contudo, para as pessoas mais preocupadas com o peso, a dica é ingerir o chocolate amargo porque ele reduz o apetite por doce”, diz ela.

Quantidade

A especialista ressalta que a quantidade de chocolate que pode ser consumida por dia é de 30 a 40 g para um adulto e de 20 a 30 g para uma criança. “Se consumido nessa quantidade, o chocolate pode trazer benefícios ao organismo”, afirma Vanderli.

Benefícios do chocolate

Rico em catequinas e polifenóis, o chocolate ajuda a diminuir a chance de desenvolver doenças cardiovasculares. “Além disso, ele melhora o HDL (colesterol bom) e diminuir o colesterol ruim, chamado de LDL. Rico em antioxidantes, o alimento também contribui para a circulação sanguínea e imunidade”, afirma.

Segundo Vanderli, a melhor maneira de usufruir dessas propriedades é consumir apenas a quantidade indicada, de preferência, da versão amarga do doce. Para controlar a vontade de comer alimentos com açúcar, a dica é comer o pedaço de chocolate entre as refeições.