Para esclarecermos as principais dúvidas sobre esse tratamentos não invasivo, conversamos com especialistas no assunto: a fonoaudióloga Silvia Pierotti, especialista em motricidade orofacial com enfoque em Fonoudiologia Estética, e as dermatologistas Karla Assed, membro da Sociedade Brasileira de Dermatologia, e Silvia de Mello.

A fonoaudiologia estética, ou fonoestética, nada mais é que uma área de atuação da fonoaudiologia que equilibra a musculatura da face e reeduca as funções de mastigação, fala, deglutição e respiração – capaz de promover a suavização das rugas e marcas de expressão. O tratamento pode mostrar resultado já na primeira sessão mas, em geral,  fonoestética necessita de 3 a 4 meses de consultas semanais para a avaliação dos resultados.

Mas este prazo tem explicação: a técnica é mais profunda. A fonoaudióloga explica que o primeiro passo é analisar a dinâmica da musculatura facial do paciente. Traduzindo em miúdos, nossos vícios musculares – como levantar as sobrancelhas, mastigar alimentos de forma errada ou passar longos períodos com a cabeça abaixada – podem, ao longo do tempo, evidenciar rugas ou marcas de expressão.

“O surgimento de rugas ao redor dos lábios pode aparecer em pacientes que utilizam aparelho dentário. Isto acontece porque para não mostrar o aparelho, as pessoas sorriem com tensão nos lábios, ocasionando rugas na região. As papadas não são causadas só pelo acúmulo de gordura ou idade, atendo casos clínicos em que adolescentes desenvolveram papadas por ficar longos períodos com a cabeça abaixada, lendo ou usando o computador”, explica.

Depois da análise dos hábitos da musculatura, iniciam-se as massagens, manobras de alongamento e exercícios faciais, que deverão ser realizados em casa. “A terapia fonoaudiológica é mais uma forma de tratamento não invasivo, que provoca a oxigenação e vascularização do tecido. Mas se o paciente apresentar flacidez acentuada, o mais recomendado é procurar um cirurgião plástico”, diz Silvia.