Após ultrapassarem a barreira dos 20 ou 30 anos, as mulheres não lutam apenas contra as ruguinhas. Estudos – e rostos – mostram que as espinhas nunca incomodaram tanto essa faixa etária. A boa notícia: acne de mulher adulta tem solução.
Você associa espinhas à adolescência? Pois saiba que cada vez mais garotas bem crescidas sofrem com esse incômodo. Pesquisa da Universidade da Pensilvânia, nos EUA, descobriu que a acne adulta é comum em mulheres de 20, 30 e até 40 anos – no Brasil, os dermatologistas afirmam que a situação não é diferente. Fatores como stress, variação hormonal e dieta pobre em nutrientes podem fazer o problema (re)aparecer para detonar a autoestima. “Pacientes ligam inseguras por não saberem o que fazer quando uma lesão aparece no dia de um compromisso importante”, diz a dermatologista Silvia de Mello, dermatologista da Clínica Ivo Pitanguy, no Rio de Janeiro.

Quer acabar de uma vez por todas com esse problema? Siga os 5 mandamentos antiespinhas a seguir:

1. Relaxe
Ser muito preocupada e não descansar direito piora o quadro de acne. “O stress e a falta de sono aumentam a produção de cortisol”, diz Kakihara. E, como você já leu, esse hormônio tem a ver com excesso de óleo. Procure dormir 8 horas por noite e reserve um tempo para atividades relaxantes, como malhar ou praticar algum hobby.

2. Coma bem
Carboidratos de alto índice glicêmico não sabotam apenas a cintura mas também a pele, pois aumentam rapidamente o nível de insulina no sangue – outro hormônio que pode gerar produção excessiva de sebo. Equilibre a quantidade de açúcar consumindo carboidratos integrais e alimentos ricos em fibras, como legumes e verduras. Além de prolongar a saciedade, eles fazem com que a insulina não apresente picos de produção. Quanto ao famigerado chocolate, estudo recente da Universidade de Medicina de Miami, nos EUA, descobriu que homens que consumiram o doce diariamente tiveram espinhas cerca de uma semana depois do teste. “É provável que o chocolate afete a pele da mulher da mesma maneira”, diz Zeichner.

3. Repense a contracepção
Se suas espinhas aparecem uma semana antes da menstruação, o caso é com seu ginecologista. Converse com ele sobre a possibilidade de prescrever um anticoncepcional oral para ajudar a estabilizar os hormônios durante o mês. “As pílulas ajudam a neutralizar a produção excessiva de hormônios masculinos, diminuindo as lesões na pele”, explica Karla.

4. Tenha um dermato para chamar de seu
Se as lesões são infeccionadas e doloridas, procure um especialista. “A acne cística [com as características citadas anteriormente] tem cura lenta e pode deixar marcas permanentes”, diz Zeichner. O dermatologista provavelmente prescreverá um antibiótico (para matar bactérias e reduzir a inflamação) e um produto tópico mais intenso para sumir com os sinais. E nada de ressuscitar a receita que seu médico lhe prescreveu anos atrás. Alguns antibióticos comumente usados no tratamento de acne adolescente não vão tratar a base do problema da acne adulta: os hormônios. Além disso, eles são cheios de efeitos colaterais desagradáveis (dores de cabeça e queda de cabelo).

5. Planeje a limpeza
Para ajudar a manter os poros limpos, vale investir na esfoliação. Mas não exagere para não enfrentar o efeito rebote (quando a pele fica seca demais e, para compensar, produz mais sebo). “Existem esfoliantes mais leves que podem ser usados até duas vezes por semana”, diz Silvia de Mello. Já a limpeza de pele deve ser feita apenas quando há cravos para serem removidos, uma vez por mês. Em caso de acne inflamada, desmarque a ida à esteticista.

 

Fonte: www.mdemulher.abril.com.br